terça-feira, 16 de abril de 2013

Creia menino!

 
 Segue menino, te solta 
faça em mesmo rodopios 
como se fosse um pião, 
verás o mundo rodar, 
nas trocas da imaginação... 
Se como filho do vento, 
não repise pensamentos, 
deixa a ideia soprar, 
avança para outro tempo, 
há muito o que reinventar... 
As negativas guardadas,
 revelam fotografias, 
amareladas, por nada, 
das causas porque se cria... 
Reparas que em cada segundo 
verso novo se recria, 
o centro por tal é fonte, 
contornos reciclam os dias... 
 O peso por sobre o dorso, 
é da sacola vadia, 
nada mais que cacarecos, 
estúpidas melancolias... 
Vai!... 
Faz das mazelas sua bola 
sem mira chuta à gol 
nos pés, os calos são glórias 
superação é louvor 
 Creia menino!
 És um fruto de amor 
e quando julgares sozinho 
veja que em mesmo caminho,
alguém sofre em mesma dor...



*Para alguém em que nunca deixarei
de acreditar...

 .

terça-feira, 2 de abril de 2013

Broto primeiro...

 
Não há nada que detenha 
a sombra pueril que não se revela,
por vezes parece uma rosa 
que o vento não balança 
no peitoril da janela... 
Outras vezes entre ondas 
que não se cansam, 
intemporais, variáveis de rondas 
ela, habilitada pra guerra, 
arrogância que impera... 
Ah essa rosa, rosa essa 
que não alcanço 
que sede te posso matar, 
acorda, sai desse sono, 
há vidas do lado de cá, 
não sentes o próprio perfume, 
águas, águas para inspirar... 
Sinta, broto primeiro
o céu risonho
e ouve a voz do coração, 
fertiliza a vossa terra
cumpra a contento a missão...