quinta-feira, 13 de junho de 2013

Tropeços

 
A nossa estrada foi encruzilhada 
quando um dia a gente tropeçou, 
no centro demos uma rodada, 
nossos caminhos então se misturou... 

 Se foi percurso não determinado, 
não estou certa quanto essa virada, 
não sei você, mas eu sou andarilha, 
qualquer estrada pode ser jornada... 

 Meu voo é rasteiro, pois não sei voar, 
num tempo aqui ou em qualquer lugar, 
não sei se sorte, minha casa é divagante, 
o céu é meu teto e as luzes, estrelar... 

 Eu acreditei e desenhei num pano, 
riscos e rabiscos como se um mapa, 
não imaginei haver qualquer engano, 
e no entanto, tudo deu em nada... 

 Ó Deus, somente tu sois testemunho, 
das coisas que eu tanto desejei, 
horas aflitas com meus remoinhos, 
sacrossanto amor que eu juramentei...