sábado, 4 de agosto de 2012

Refluxos

Grilos demais em tampouco sereno
fazendo barulho, de jeito estranho
algo que não traduzo,
porque já não meço em números tamanho.
Serão trocadilhos de indos e vindos,
por fora, por dentro, rangendo vestígios.
Talvez borboletas soluçam operetas
em loucas facetas a morrer de rir,
pelos contos de fadas, histórias encantadas,
a menina acordada sem querer dormir...
Tem escuro no medo,
um fio de enredo malogrado no peito,
uma rústica fria em tino sombrio,
e nenhuma boêmia...
E das coisas tão soltas revestidas de lunas,
a rua era nua e tão nua, era Lua...