domingo, 26 de agosto de 2012

Quero-Quero

Quero escrever sem freio 
desenrolar o novelo, 
esmagar o medo, 
 até sangrar os dedos... 

 Quero botar tudo pra fora 
preenchendo cada linha 
do que de mim transborda 
a esgotar essa memória...   

Quero ventilar essa mente 
dar em soltas as ligeirices 
acordar o que está dormente 
sem danos e sem mesmices... 

 E que não falte a tinta na tela 
o bem-te-vi do quero-quero, 
o vivo noturno com olhar de rapina 
e na pauta o THE END que espero...





Li@petitto