quarta-feira, 1 de fevereiro de 2012

Vem...

Deixa eu matar meu desejo,
afagar os teus cabelos e te fazer
dormir e de jeito interesseiro, acordar
você de novo, te querendo em mim
te pegando na malícia, feito
menina traquina e com você me ir...
Vem e toma de mim o desejo,
pousa teus beijos em meus seios,
ofego febril desse meu coração,
que está em borbadeio, te ansiando
por inteiro, com sofreguidão...
Deixa eu te dá além do que tenho,
te mostrar como me venho,
no enrosco a te cingir, quero subir
contigo aos céus, dar-te o mergulho
em meu mel, na mistura, o elixir...
Depois, pega-me nos teus abraços e
disfarça o teu cansaço, enlaçando
minha nudez, que eu farei o teu jogo
e no mesmo cansaço,
me entregarei outra vez...

Livinha