quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Xô mágoa!

Xô mágoa! Segue embora,
eu já dei o meu perdão,
por mim seria loucura
alimentar tua ingratidão...
Não bata mais a minha porta,
as ondas são passageiras
esculpidas em geleiras
e as lembranças estão mortas...
Se o teu nome é passado,
o que passou, não tem volta
o antes, é estrada tortuosa
que o olhar já não alcança...
Os meus passos, seguem a frente
o horizonte me conforta
caminheira livremente
e o que passou, não mais
me importa...


Livinha