sábado, 13 de agosto de 2011

Pai...


Parabéns a você que é Pai!
Pai...
Pode ser que eu nunca tenha
compreendido o teu jeito meio aflito
de nossas eras passadas,
penso até que já tenhas esquecido,
aquele tempo sofrido, hoje em tua mente
cansada...
Um teu sofrer diluído de mágoas, de
sorrisos tão poucos e minha mãe ao teu
lado, te acalmando o sufoco...
Sonhos desfeitos, outros de anseios,
"responsas" em devaneios...
Hoje me alonguei o pensar, algo a
justificar a razão de ser um PAI,
afinal, dizer que as mães são Marias,
santíssimas do amor em abraços de paz?...
E tu meu Pai, quem sois?
Quando ao tempo foste um simples
peregrino, inspirado pelo amor,
o princípio em providência,
encargo instituidor...
Meu pai amigo, és de Deus o assessor
e como filho mais velho, dos teus filhos
o condutor, na doutrina de tua lida,
a família construida, a legado um fundador...
Te vejo hoje diferente da forma como eu
te via, lembrando teus feitos docentes,
normas com que conduzias...
Agora sou pai também, a dispor de tua
herança, no coração trago o amor, na
mente a tua esperança, abraçando tuas
netas, minhas eternas crianças...

Obrigado Pai, pelo amor...

Livinha