sexta-feira, 8 de julho de 2011

Mirantes...

O que descreve esses olhos
de aparente inocência,
são duas contas curiosas
na divina consciência?...

E quão fina transparência
que acena e não se esconde
é vida voando em pena,
cintilando no horizonte...

Broto de brilho em chegada
realce de alma serena,
prece de estrela dalva,
rosa-dos-ventos, poemas...

Esse olhar por onde anda
essências em devaneios
são imagens de esperança,
harmonia em gorjeios...

Há segredos no passeio
vislumbrados de sorrisos
há viagens de anseios
epopéia em paraíso...

Há um sol chegando lento
há uma flor nos cabelos
um girassol pensamento
a prismar lua em desvelo...

Faróis distantes, compondo
janelas que vão se abrindo
um pensar vivendo um conto
n'outro pensar peregrino...

Livinha