sábado, 14 de maio de 2011

Performance...

Elas não se aguentam na espera, me
adivinham no anseio de voar sem
que eu possa rabiscar as linhas, palavras
minhas e se adiantam no céu a expressar...
E voam como andorinhas, como a saber
onde, em que destino re[pousar]...
Me compreendem a inspiração, conhecem
os meus dons, brisa a me acariciar,
como um encontro com natureza, quão folha
de esperança, perpetuar...
As outonais que se levantam e aos ventos
lançam suas pautas, ombreando as do horizonte...
Exibem-se em "V" de vida, num desejo
subscrito de performance...



Livinha