quarta-feira, 6 de abril de 2011

Por que dizer que é loucura...

Dou-me por entrega aos encantos
e por que dizer que é loucura?
Que digam, eu não ligo... Eu não me culpo!
É amor, o que não tem cura...

Onde a culpa caberia,
se o pensamento é desmedido,
a fonte febril dos instintos, ao passo
do lívre arbítrio...

Assim me entrego...
Sou arraia ao sorriso dum menino,
silhueta valsante de sonhos,
impetuosa...
a menina borboleta a romper-se
do casulo,
a estrela namorada, em noites
silenciosa...

Se o mistério é loucura, sou o fruto
da paixão,
um corpo nú sem censura, anímica
em explosão,
Sou vida em paralelas, insana na
perfeição...


Livinha