quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Foi por viver de saudades...


Por tanto viver de saudades
Estou mudando...
Vivendo instantes adoráveis,
sem me dar aos desenganos...
Por tanto viver de saudade, estou tentando
viver apenas de sorrisos,
e jamais acompanhada de um lenço,
para que não haja mais o pranto...
Sim, estou dos meus momentos cuidando,
para que não me sejam de todo intenso,
sem dele nada esperar,
me disponibilizando ao tempo, sem históricos
a lamentar...
Já não estaciono, sempre de passagem
porque tento ser andarilha
ou quem sabe uma ilha, sozinha, as cercas
de imensurável oceano...
Por tanto viver de saudade,
já não busco mais apego, que tudo me seja
distante, uma linha, sem novelo...
Que eu me estique e me torne abundante,
infinitamente grande, paralela ao horizonte...
E na varredura do tempo, me diluindo,
bem como outrora, juramentei, sendo alma,
passarinho alçando voo, corações massageando
com jeitinho e de emoções me lavando...
Assim, poderei retornar e calçar os meus
chinelos na morada, onde os deixei...



Lívi@petitto