sexta-feira, 19 de novembro de 2010

Coração metade...


Coração metade nunca congela,
foi a saudade que o fez chorar
mas sempre de porta aberta
pra outro amor adentrar...

Se colocou na janela,
pediu ao sol para o afagar,
há um tempo, fez mudança,
passos de brisa, hoje o balança,
por outros olhos pulsar...

E se fez aconchegado,
jamais esquecido de amar...
Aberto para o encanto
esperando o amor chegar
e ele chegou...

Agora ele vive de sonhos
vibrante a espasmar,
tercendo versos de pronto
palpitando sem parar...

E no meio a madrugada
pede um passeio p'ra alma,
outra metade encontrar,
alma, alma namorar...


Livinh@_