terça-feira, 19 de outubro de 2010

Sonhos de Poeta...

20 de Outubro...


Acordes de minhas poesias,
das ias de vento a soprar
o cheiro da maresia,
busco lá, trago pra cá....

No balanço crio a rede
e finjo que estou a voar,
faço dos dias minhas noites
e no céu estrelas pegar...

Na poesia um faz de conta,
faço tudo o que eu quiser,
escrevo com lápis sem ponta
e remo contra a maré....

E quedo depois na cama
desperta do meu sonhar,
um corpo pesado levanta
e tudo volta pro lugar...

Poesia é um abraço da lua
no banho nua chuááá...
na fuga das amarguras,
leva o poeta a sonhar...

E assim levo o meu tempo,
nas rimas de todo poeta
navego no antihorário,
nunca a saber da hora certa...

No liberto eu me afogo,
no imaginário me encaixo,
um gato sem volta pra casa,
jungindo a lua no telhado...

O espaço então transformo,
do aparente faço o meu céu
nos torvelinhos me enrosco
me doo à vida, em carrossel...


Lívi@petitto