segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Malas Prontas...

Desta vez foram longe demais. Eles, os algozes da ilusão... Construiram propósitos, sugestionaram ouvidos e puseram nas bocas falas horripilantes, da mesma forma como sempre vem, pra bagunçar o ambiente... As bruxinhas fizeram as vezes e abriram espaço deixando-se levar e a maga, perdeu as forças...
A calmaria espivitou, a balança em baixa, quedou e a sísmica impulsiva, exasperou.
Estou cansada...
Para as dores físicas, basta um analgésico e tudo pode ficar bem. As dores da alma, um copo d'água, com gotas de Fé, acalma, mas isto não se encontra nas farmácias... Eu,  "Tudo posso naquele que me fortalece", me seguro, penso e trabalho o estado de cada um, mas não posso fazer milagres, sozinha nada faço, quando os desafios, não são de todos meus... Se ainda existe um freio, há um tempo de pensar. Um volante, fica fácil manobrar, quando o velocímetro comedido, inibe reação e anda devagar, sem aceleração...
Se esse carro parar, que fim terão minhas afeições...
Malas prontas, pra terra
do nunca
onde me junto a passarada,
no voo do livre-arbítrio,
dando vida as minhas asas...

Dou um giro no espaço
a tão viagem sonhada,
n'algum lugar, um pouso faço,
florindo minha jornada...

Como alma assim não vista,
me dou vida imaginária,
pinto tela, sou artista
e crio formas hilárias...

Eu encontro a fantasia
no broto da inspiração
as noites me fazem dia
dissipando a escuridão...

É nessa terra a mim bendita
que almas se dão ao encontro,
os que julgam inexistente
fizeram da vida, um ponto.

E eu, tenho que continuar,
não olvidar, as dores do mundo,
poesias são luzes que busco,
da vida, tesouros profundos...

Eu sei que eles estão lá...

Lívi@petitto



Meus amigos, Perdoem minha ausência. De cada um de vocês, jamais me será possível desligar. No momento recosturo meus retalhos e entre um devaneio e outro voltarei, embora não com tanta frequência, até sentir que estou novamente pronta...
Obrigada pelo carinho de todos...