sábado, 18 de setembro de 2010

Não há coro sem junção...


Perdi-me de minhas notas
ao expirar a melodia...
Elas, somente tocavam,
enquanto canções eu fazia...

Luas, quantas fizeram marcos,
na mais completa sinfonia,
e a orquestra voltava a tocar
um sustenido so♪, saudando o dia...

Hoje já não há mais uníssono
acabou-se a cantoria,
a harpa perdeu as cordas
nem anjo, nem maestria...

O casal já não mais dança
fim de valsa sem canção,
sem nota já não se avança...
não há coro sem junção...

As lembranças, repetem refrões,
ressoam as minhas partituras,
os sentidos, aderecem sensações,
extasia esse amor, que não tem cura...



Lívi@petitto