sábado, 21 de agosto de 2010

Utopias de Alice...


Há um céu fazendo gosto,
jamais num espaço [des]agosto,
mas num vivo céu de abriL...
Ainda que já em noite aberta,
acena a fantasia, calma e serena,
ostentando um azul de aniL...
E a maravilha se revela, dona de
um firmamento somente dela
quando a criação desponta, num prisma
que ninguém viu e no recato, dedica-se
ao silêncio do tempo seguinte...
Um saltitante, preposto setembro,
de sonho primaveriL...

Lívi@petitto