segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Um instante OFF


Talvez um poema sem assunto, algo
instântaneo, de pronto,
um vácuo no juízo, um ponto...
Sem pergunta, sem resposta,
olhos perdidos, distantes...
Miragens, entre retas tortas, dor!
Que não se sabe onde...
Coisa com coisa, sem coisa, errante;
incertezas que vagueiam, delírios infames...
Mudanças de momentos, rimas sem remos,
barco sem roteiro, lenço sem vento,
como um OFF sem clic, um stop...
Um chamado sem presença, cinema
sem ensaio, um mudo-surdo, um paio...
Beco sem saída, ou um vão no meio do escuro?
E vem um grito no repente, um surto
que se faz voltar...
Eis a alma... Onde ela estava?



Lívi@petitto