sábado, 7 de agosto de 2010

O inefável...


Desanuvia tempo,
esparsa-te com o vento, voa!
Engajada nesta luz que te desponta,
há um canto que ecoa...

Ósculos de luz, inefáveis sentidos
evolam, compondo encantos...
Um ar, exprimindo essências
delírios e sonhos...

Conecta-te ó rosa dos ventos!
Olhos decolam no horizonte...
Uma menina biruta que cintila
e no silêncio se anima exultante...


Lívi@petitto