quarta-feira, 18 de agosto de 2010

E se eu me perco?


O limite é um pico indefinido
na linha do horizonte...
Uma flecha enterrada no topo,
um duplo sentido,
sem ter como ir adiante...
Asa vermelha um estandarte
optativo no instante
um fi[n]co aqui mesmo,
um voo no espreito
ou volito de jeito...
Há uma dúvida, pode ser erro
pode ser acerto...
E se eu me perco?

Lívi@petitto