sexta-feira, 16 de julho de 2010

Menina Gramática...

Aos amigos e a você que
me visita porque palavras são poemas...

Minha menina gramática,
por que tanta interjeição?
as vezes te pego dramática,
vezes outra, em reflexão...

Onde é que tu mareias
nesses fluxos e refluxos,
que entre espaços permeias,
um dito sujeito oculto?

Já não verto os predicados
embutidos em tuas reticências,
diante das vírgulas do teu passado
não te curvas às desinências...

Nas entrelinhas de tuas pautas,
observo-te induta, em tentação,
leio-te os verbos implícitos,
gritos em punho, exclamação...

Quando abstrata, papel em branco,
nauseando a fome escrita,
manchas borradas, d'um pranto,
nas deduções que a ti incita...

Pauseias entre dois pontos
como que explicações a se dar,
razão das tantas interrogações,
do que sabes e não queres aceitar.

Por que não colocas um ponto?
O que era história, agora um artigo
na tua página, encerra um capítulo,
na do outro, um substantivo...

Ah minha gramática querida,
saia desse caminho obliquo,
visualiza-te na estrada reta,
e creia mais no teu qualitativo


Lívi@petitto