domingo, 6 de junho de 2010

Do nascer ao pôr do sol...


Primazia... Chegada primeira, pura criança.
Lua nova, cuja alma ainda fresca, traz o novo
enriquecida...
Um aroma que se exala de essência sensitiva,
existência previvida d'outras transições...
É a matutina que se levanta cheia de expectativas
e esperanças, disposta à vida das manhãs...

Anseio... O adulto, apreensivo e eufórico,
uma lua que cresce às vezes quieto, às vezes
opero... Divagante de um lado para o outro nas
incertezas vãs.
É a tarde desanimada, não sabe se pára
ou se prossegue, às vezes inerte, às vezes vaga...

Recolhimento... É o idoso, em suas colheitas,
incerto talvez, quanto ao dever cumprido...
Às vezes incrédulo pelas pedras não lapidadas,
pensativo... Outras vezes desolado n'algum canto
esquecido num viver amargurado...
Patrimônio bendito, pelos anos assim vividos com
histórias pra contar...
Na cabeça, a alvura do tempo e na voz o cantar,
à espera d'um afago, um reconhecimento...
É a noite, cansada, abatida, mas se dá ao descanso,
em se deitar, algo do "deixa pra lá, amanhã haverá
um repensar"...
Um luar minguante, no instante da senilidade a saber
se renovar, além da eternidade...


Lívia@petitto