segunda-feira, 14 de junho de 2010

Alfabeto formoso...


Não brinco com as palavras,
elas que brincam comigo.
Em minha frente elas valsam
fazem um tiro liro, liro...

São delicadas letrinhas,
desse alfabeto formoso,
silábicam, fazem a graça,
nos seus dotes suntuosos...

Chegam sem hora marcada
ideias confusas ou claras,
entre poses e cambalhotas,
obrigando-me a desvenda-las...

As vezes se mostram ansiosas
quão no repente descortina,
se atropelam e se atrapalham
fazem eco e tocam rima

Me dão um trabalho danado,
presas de mim essas meninas
são meus versos amordaçados
da tal liberdade que me subestima...

Ah essas letrinhas, tão elas
notas claras, álacre e canção
entre algazarras se anelam
rufando tambores no coração...