quarta-feira, 14 de abril de 2010

Quem sabe...


Quem sabe se já não vivi tudo o que podia
quem sabe se na minha solidão,
não está minha alegria...
Preservo meus bens de ser
porque preciso viver, viver, viver...
Sou o que sou, gosto do que gosto,
em mim aposto!
Sou o meu real vivido, sou livre,
e censuro meus erros no que de mim,
eu faça crer...
Sou como todos são, as diferenças
estão no corpo que veste almas
uns mais magros, outros mais gordos
e se não nervosa, sou calma…
E eu, vou tocando e fazendo a troca
E se minha criança estiver dormindo
amanhã ela acorda
e o tempo no plantão, me avisará a
esperada hora, quando de certo,
já estarei pronta...


Lívi@petitto