sábado, 6 de fevereiro de 2010

Enquanto você descansa...


Te deixarei à sombra de uma árvore
confabulando com o horizonte,
enquanto saio a passear, em respeito
ao seu descanso...
Nada mais eu vou falar, ficarei com
o meu pensar, enquanto dos pássaros,
ouves o canto...
Não demore muito a chamar pelo meu nome,
me distraio, sou florista, poderei estar distante...
no amanhã, embalada pela brisa,
posso sim, estar esquecida de voltar,
e quem sabe a deleitar-me noutra árvore,
também a descansar...


Lívi@petitto