quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Depressão...


Os batimentos cardíacos indiciavam
fragilidade, naquele corpo estático
que na cama, se deixara,
no ceticismo de aspecto apático...

O silêncio cuidadoso, assistira
os pensamentos que alí predominava
enquanto bocas diziam apreensivas:
Pobre coitada...

O tempo pedira calma e paciência
e o tic tac seguia, em ponteiros lentos
surpresa e suspense, duplas contrárias
presentes naquele estabelecimento...

E o fantoche moribundo
sequer manifestava movimento,
e a tristeza, invadia a alegria
enquanto as irmãs, Fé e Esperança
inspiravam alento...

Positivo e negativo se debateram
instáveis, variáveis, constantes
e a certeza entre os sentimentos
vacilavam naquele instante...

E a brisa na janela, soprara de repente
deitando Paz sobre semblante amortecido,
e aquela alma, serenou naquele instante:
um breve sorriso...

Os sentidos uniram-se em harmonia,
vigor estranho a consciência provou
do manancial de Luz, que alí surgira...
Foi o testemunho da Fé, provando
que vida, é AMOR


Lívi@petitto