sábado, 30 de maio de 2009

Procuro...


Procuro um endereço,
algo que desconheço
ou até quem sabe, conheço...
talvez um lenço ou mesmo um terço
que me leve a um começo
e que me permita descobrir
onde foi que me perdi...


Me apronto para
um recomeço..


Livinh@__

sexta-feira, 29 de maio de 2009

Gosto de você...


Gosto quando você bate a minha porta,
me procura, sem nem mesmo me avisar,
o que não gosto é quando manda o silêncio
vir no seu lugar....



Livinh@__

quinta-feira, 28 de maio de 2009

O Amor...


Que Bom se pudessemos retrata o amor como gostariamos
que fosse, na prioridade dos sentimentos... O amor,
sentimento esse que não se coloca em condições.
Sem a razão de ser do porque se ama.
Amar é amar, sem porquês na expressão mais sublime
de sentir o fraterno, o suave, o compreensivel.
Sentimento leve, que não sobrecarrega, que nos completa
ou que nos responde, sem que sejamos chamados ou
cobrados. É o que a nós eternece... que nos coloca ainda
que de longe, a observar e aplaudir... É o milhar em um,
estando em todos os lugares, sem hora marcada, multiplicado
na ação. Tudo é belo, tudo receptivo, compreensivo e aceito
na sua forma real. Defino-o exatamente como sendo o TODO
vivendo dentro do TUDO e todos os pejorativos contrário ao
belo, inexistem porque amor, é Perfeição...


Livinh@__

terça-feira, 26 de maio de 2009

Nas ruas...


Pessoas, trânsito, loucuras
e eu atrevidamente nas ruas,
atrás do meu destino,
levando comigo a lembrança
d'um menino...
É sempre assim,
eu, ele e a censura que corta
o filme com o aviso seguinte:
"Impróprio para maiores de
43 anos"...
O filme corta a cena e ele
sai de cena, sem aceno,
num ultimo suspiro...

Saudades...



ѼLivinh@__

domingo, 24 de maio de 2009

Semelhanças...


Como é possível ver o que
existe no fundo dos rios,
quando a primeira imagem que
vemos é o nosso eu?
Água suja e embaçada,
escondendo as maravilhas que
Deus nos deu..
Assim somos nós!
Olhar para os rios com sentimento,
é ver o que se passa lá dentro,
saindo do interior da gente,
sendo como ele, transparente..
Sejamos semelhantes a grandeza
de Deus,
na natureza, se encontra a beleza
e nela contém a receita do nosso
equilíbrio interior..
Sejamos rosas, exalando perfume,
Sejamos sol, radiando calor,
Sejamos na noite, luzes dos vagalumes
ascendendo a laterna do nosso amor..
Sejamos prateada luz da Lua,
na florescência de nossas almas,
sejamos o piscar das estrelas,
sinalizando caminhos, na calma..
Sejamos a propria vida, que somos,
sejamos esperança,
com os passarinhos, sejamos unissonos,
e com eles, pairemos nas boas
aventuranças;
Sejamos Bonança..

Deus nos abençoe..


Livinh@__

Ilusão de óptica...


Nas meras e casuais andanças
conheci a ilusão de óptica,
ao longe, uma vida que brincava,
errei, asas negra a devorar, na Etiópia..

Noutras andaças, em minha sede,
buscava água, pensava ver o mangue,
e corria, porem me enganava,
encontrava o terror, eu via sangue...

Visualizei outras vezes mais
luzes, fumaça, fogos de artifícios?
era o fogo da guerra, alvoroçada,
entre lavas e chamas, o suplício...

Vejo palavras bonitas, palavras dos homens,
Fazendo promessas, promovendo sorrisos,
São votos doados, mostrando seus nomes,
Comunidades sofrida, eis os povos mirros

O amor torna-se anfitrião,
nos corações puros, não se ilude,
tem e ver, transparência de amplidão,
e dessa mesma forma, não se desilude...



Livinh@__

sábado, 23 de maio de 2009

Parceria..


Entre meus dedos e o teclado
existe uma paixão..
Soletramos as mesmas letras,
e nos sentimos nas mãos...
e quando a gente se perde,
buscamos conexão
e os pensamentos divagam,
nas palavras em canção...


Livinh@__

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Pátria Amada Brasil!!


A princípio era um Rouxinol
fazendo doce seresta,
debaixo de minha janela..
Disse por mim ter se apaixonado,
quando "Bem-me-viu"...
Depois de um beijo roubado,
me olhava como uma rosa,
pensando ser um Beija-flor...
e saiu lindo, esvoaçante a
assobiar,
como a magestade o Sabiá...
E já no espaço, era um Canarinho,
bem brasileirinho, se conduzindo
as nossas "verdes matas"
Oh Pátria Amada Brasil...


Livinh@__

quinta-feira, 21 de maio de 2009

Navegando ao luar..



Na minha jangada,
faça o passeio noturno e,
vejo nas aguas o espelho
da lua, que navega comigo
e a ela me assemelho...
Ela sabe dos meus segredos,
conhece meus medos e a mim,
o silencio da noite, confia..
Não preciso dos remos,
nos momentos em que
arrefeço,
a lua me agasalha e conduz
então, adormeço...
Eis que no silencio me guardo,
na espera do amanhecer,
pois sei que a existência,
não é mero acaso,
e nas viagens do anoitecer,
anjos me orientam,
para o encontro da aurora,
e o novo dia vencer..


Lívinh@__

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Plante sementes...


Recolha todas as boas sementes
seja por onde passar.
Coloque-as no sol, deixe elas secar.
Are a terra com carinho e com tal
jeitinho, deite a semente por lá...
Molhe a cada amanhecer
e converse com ela diariamente,
até que possa brotar...
...Um dia, ao levantar,
sentirá o cantar dos pássaros
no seu jardim e a tua semente
já crescida, feito em flor,
sorrindo, te saudará



Livinh@__

segunda-feira, 18 de maio de 2009

Da Partida...


Trago a certeza da minha partida,
sem mesmo recordar da hora marcada,
a mala, tenho feito em toda minha lida,
sem que ainda terminada, à despedida...

O mapa do caminho, sou eu quem traço,
erro muitas vezes e o refaço..
reconstruo nas quedas, quando cego,
e se peno, insisto, mas não me entrego..

E vou florindo, nos rabiscos faço cor,
entre caprichos, meus sentidos se opor,
e modelando, objeto erros falhos,
os incinero, e recomeço com amor...

E vou seguindo, a cada fresta de luz,
uma voz a me chamar, eu ouvirei
desse mapa nos rabisques, me conduz
a hora da viagem, que sorrindo, eu direi:
Obrigada Senhor...


Lívinh@__

domingo, 17 de maio de 2009

E você, o que acha?


O que é o certo
pra pessoa certa,
o que é o errado
pra pessoa errada,
se a 1º pessoa está
sempre certa,
nos cruzamentos feitos
pela estrada?
Como dizer que a vida
está errada,
se a cada vida compõe
uma pessoa,
melhor será que o ente
nunca fique à toa,
e não exite em dizer:
não sei de nada!


Livinh@__

sábado, 16 de maio de 2009

Outras Eras...


Num, passado que eu mesma
desconheço,
passado esse doutras travessias,
vestia a capa do orgulho e
me enaltecia...
Saia a rebolar as nuances
e embora me achando...
aff, sem chance!
nada de bom conseguia...

Taí, a pose do orgulho,
nem olha para trás,
sempre apressado,
passando por cima dos ais,
um dia, ele tropeça e cai,
coitado do orgulho, pra
não pagar mico, se esconde
e bye, até nunca mais!

Ôpis! olhe ele aí...
lá vai....



Livinh@__

quinta-feira, 14 de maio de 2009

Lamentos da realidade...


Vejo no faz de conta,
a necessidade da aparição,
nas paredes se estampam letras
contradita de um coração;

Vejo o apego fatídico da
inocência numa saudade sem fim,
uma crença em descrença,
pairando sobre um jardim

Vejo a feição da discordia
na labuta sem compreender
que o trabalho enobrece o homem,
para seu usofruto, no melhor prazer

Vejo a natureza que se desfolha,
n'algum coração mostrando esperança,
seja água c'a natureza molha,
seja no livre vôo que eternidade alcança

Vejo o egoismo, do proprio interesse,
alimentando a gula no "por em si mesmo",
sem perceber a vida que se arrefece
na solitária ilha que navega a esmo;

Vejo a fraqueza entregue à desgraça,
sucumbindo a dor, que já morta pena
não percebe o anjo, que na sombra esvoaça,
na oferta do socorro, que à vida acena...

Vejo seres descrente na existência,
e no desquererem, à vida, dar adeus,
no desespero, buscam à morte, na inocência,
de não ter a resolver problemas seus...

Pobre homens.. que buscando a própria morte,
cujo orgulho, jamais terão em pedestal,
na ignorancia, destrói a própria sorte,
no sangue ar-lhe as penúrias de seu mal...

Vejo o preconceito em vã soberania,
lustrando pele e a roupa a que o usa,
na chama da inquietude noite e dia,
debruçado na avareza em si, inclusa..

Vejo ainda, uma ponta de esperança,
no exemplo de amor de um irracional,
que, do amigo-dono, em saudosa lembrança,
cobre-lhe os despojos com um jornal..

Vejo abençoada entrega na oração,
em virgilia, o proprio ser, na comprometida
jornada,
no cercar de força protetora, próprio coração,
livrar-se de todo o mal e seguir a caminhada...

Livinh@__
14/05/2009
20:30hrs


"Liberdade, oh liberdade!
abre as asas sobre nós,
das lutas, nas tempestades,
da que ouçamos sua vós"...

(Hino da proclamação da república)

quarta-feira, 13 de maio de 2009

Se precisar, eu volto...


Não posso, é cedo para dizer adeus,
tanto tenho por ainda galgar,
enquanto houver vida, haverá esperança,
eu tenho que continuar...

Sento-me nesta pedra e observo,
os pássaros, encansavelmente voam,
há no horizonte um soar de vozes
meus sentimentos que chamam, por lá ecoam

Por onde já passei, há sentimentos
que choram.
sei que algum sol, haverá de seca-los...
talvez tenha restado uma saudade
quem sabe,
outros sentimentos haverão de ama-los

Se precisar que eu volte, voltarei
vez que abandona-los, jamais penso,
o caminho na jornada, seguirei
secarei as minhas deixas, em meu lenço..


Lívi@petitto
(livinh@__)

terça-feira, 12 de maio de 2009

Desabafos...


Outrora me julgava tão valente,
audaciosa, atrevida e tão contente,
hoje temerosa, fragilizada e triste
desprotegida, pois o medo existe...

Um tempo, que a mim aponta alternativas,
conselheiro no silencio, me assiste,
me leva em seus passeios, a divagar,
teimo em não enxergar, e o descrer persiste

E volto lá, num passado bem remoto,
melhor, será que volto ou vivo por lá?
eu sei, eu sei o que se passa comigo,
mas finjo dormir, pra não mais acordar..

Dizem que a vida, é caixinha de surpresa,
entendo que surpresas são coisas boas e não ruins
diacho! eu vivia da alegria e bebia da felicidade,
veio o vento, levou tudo e me fez triste assim...

Do que me vale pensar, se não alcanço o vôo,
nem pegando carona, nas asas do passarinho,
eu tento, corro, perco o embalo, corro de novo,
e me pego presa ainda, nas amarras do meu ninho...



Livinh@__
03:04hrs

segunda-feira, 11 de maio de 2009

Na travessia...


Os caminhos são vários, as passagens
são muitas e por aqui todos passam
cumprem Missão e deixam Lembranças...
No limiar de nossas existências, muitas
são as moradas e a elas próprias
construimos sejam de Fé e de Esperança,
seja de Dor, seja de Amor...
O trânsito contínuo que permanece, nesta
viagem infinita, é como grande metrópole,
ums vão e outros ficam, outros chegam e
outros mais ainda, decidem a hora Bendita.
São os desígnios de nosso Pai Maior, em
respeito ao lívre arbítrio quando a oportunidade
nos destina..
Bem Aventurado o cumprimento do dever,
nesta estadia de progresso que buscamos,
quando adentramos a escola da vida.
Que cheguemos sequiosos de vencer
aos sofrimentos doridos
Que voltemos aliviados, pelo dever
cumprido.



Livinh@__

domingo, 10 de maio de 2009

Minha chegada em ti...


Foi linda mãe, a viagem bendita
quando atravessava o universo,
a pousar em teu ventre, aquele dia;
Segui o cheiro das rosas em teus versos,
na paz que distante em ti, sentia

Encantei-me com imenso jardim,
milhares de flores, iguais? nunca vi!
e na minha perplexidade, por tanta beleza,
fui soprada pelo vento e caí em ti

Era você, dentre todas elas,
a flor sublime e a mais bela,
que me acolheu, amortecendo a queda;
e dos teus olhos, um liquido alvo escorria,
que sem palavras, mesmo assim dizias:
Seja bem vinda, filha minha, estou em festa!

Ó minha mãe querida, cujo nome principia,
a vida que você me deu.
e eu ainda tão pequena, sentia os lábios teus,
quão terna e grata, a minha existência a Deus;

Sinto ainda a sua essência, em mim, exalas
de travessia cansada, sem o abandono da batalha,
lembro lágrima pousada, sobre o manto protetor,
das noites que me cobrias sob teu louvor.


Livinh@__

sábado, 9 de maio de 2009

Foi em você mãe...


Mãe,
Foi no seu primeiro gesto
que a vida me encantou,
sofreste dada a minha chegada,
você sorriu e me perdoou

Foi você o meu primeiro abraço
acalorado, a me sentir seguro,
mesmo quando ainda sem a luz,
eu te sentia no afago nascituro

Foi você o meu primeiro beijo,
a expressão de festa em harmonia,
a sensação dos meus desejos,
na esperança que em você, sentia..

Foi em você, meu primeiro passo,
minha primeira fala, minha alegria,
foi em você todos os meus sentidos,
no escurecer da noite, no clarão do dia..

Foi em você, todas as palavras,
todos os verbos, substantivos tais,
foi em você a primeira frase,
mãezinha querida, te amo demais!!




Livinh@__

Mãe Mundo...


Mundo que abrange a vida,
de sentimento, sabedoria e doação...
Amor, ato da complacência, no envoltório,
da compreensão..
Encontros, dado princípio de tudo no elo
da educação, onde somente com o amor,
será possível galgar o mundo...




Livinh@__

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Paciência...


...e o vento apaixonado,
pediu a brisa em casamento
o furacão, meio que enciumado,
no reboliço de seus sentimentos,
provocou um redemoinho,
deixando no ar somente, lamentos...

Logo o vento ficou enfurecido
pensando do furacão se vingar,
mas a brisa na sua leveza e ternura,
ainda que envolvida na amargura,
resolveu não mais casar...
Eis porque o vento ainda solitário,
sai por aí, a bagunçar
e a brisa, em sua calma e paciência
deixa tudo no lugar....


Livinh@__

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Tempo, esse anjo...


Quem é esse anjo que nos guarda,
e que nos vela, com amor,
sempre a posto, à caminhada,
a enxugar todo pranto e dor?

Tempo, é o seu nome bendito,
que consola e afaga o coração,
nos socorre, em momentos aflitos,
emitindo sem fala, a compreensão..

Sempre presente no decorrer da jornada
por todo caminho dantes já traçado,
registra no lívro da vida, o prontuário
em resposta, aos pensamentos deixado...

E ao final de nossa jornada,
mestre Tempo, no seu bom senso
conosco encerra, a página virada,
e comungamos no mesmo silêncio...

Deus nos abençoe!


Lívinh@__

Ressentimentos...


Mandei as minhas desculpas
respondendo que não vou
a festa do ressentimento
em convite que a mim, mandou

Não tenho tempo pra isto
mas da janela assisto,
todo um preparativo dos
encontros casuais?
Não. Eu recebi o convite
e daqui lamentarei, com
tristeza e nada mais..

Daqui de cima observo
a chegada dos convidados,
vejo o ódio e o egoismo,
alegres e saltitantes;
o orgulho em sua pose e
a raiva delirante...
Ainda dona mentira, sem perder
a sua linha
de cara falsa e precisa,
rir das suas pegadinhas

Lamento e, vejo mais adiante,
às voltas do casarão,
uma luz lacrimejante,
querendo entrar,
é o perdão...


Livinh@__

domingo, 3 de maio de 2009

Lamentos..


Estão aqui no chão, algumas delas; amareladas,
e ressecadas, com minhas grafias apagadas..
Antes eram vivas, brilhosas e ativas;
vivenciavam comigo o dia-a-dia e conversavam...
Hoje as vejo aqui caídas, derrubadas pelo vento e
arrastadas, as minhas páginas... Umas ainda úmidas,
das lágrimas pingadas, como que orvalhadas pelo tempo
mas, apenas algumas, fora as que foram levadas, não sei
pra onde...
ah, as minhas alegrias... ainda as ouço e os sorrisos agora
meio vagos, frios e congelados...
Ainda posso ver, alguns rabiscos, estrelinhas ou florzinhas
que eu pintava e até mesmo os clipses das observações...
Ai, o vento, sempre o vento, gatuno de minhas emoções...



Livinh@__

As rosas que o beija-flor beijava...


Nas asas de um Beija Flor
eu aprendi a voar, a beijar,
também, a conhecer as rosas
e do seu nécta saboriar...
Com as gotas d'água dos rios,
que conheci o frescor,
percebi o sol, me tornei vapor
e aos céus emergir...
Tornei-me nuvens, exibindo formas,
acolchoadas, brancas, viçosas
que quando carregada, diluia,
a molhar as rosas, que o beija-flor
beijava..
que me beija, que me adoça...
ah, que viagem maravilhosa...

Tardes de outono...
Livinh@__

Trajetórias...


Assim nos mostra o caminhar, no principio
de nossa existência..
Eis a vida que se apresenta de trajetória
infinita...
Quantos braços a perpassar, nas venturas
desconhecidas..
Águas que banham o mundo,
de proveniências profundas a alcançar
seus destinos..
Em dificuldades muitas, há uma vontade de fazer
percursos, vencer os afluentes em disputas confluentes;
bem como agentes "em ser milhas", construindo trilhas,
debatendo-se por pedras, fabricando fios, perfurando
fundo...
Eis que atinge à Glória, quando os braços disponíveis
à vitória, como água, desaguam no mar e se fazem repousar
...


Livinh@__

sábado, 2 de maio de 2009

Amanhã eu penso..


Não é difícil adquirir a receita do
"Bom Viver";
Difícil é obter todos os ingredientes e
isto é uma falha, um tanto quanto
da gente,
por não guarda-los na dispensa interior...
Penso que até devo ter, mas
um outro sentimento, atrapalha,
impedindo-me de ver o que restou...
Há um desânimo, uma descrença, de busca,
há uma força contrária, que me diz, agora não;
uma guerra dentro de mim, uma batalha e
uma outra, que mais alto fala: pense nisto amanhã!
E fico aqui, estagnada, sem saber a direção...
Bah! deixa pra lá, amanhã eu penso;
melhor ficar no meu silêncio...


Livinh@__