domingo, 27 de dezembro de 2009

Segredos...


Não tenho que dividir os meus segredos
são meus apegos mais íntimos, que se
calam no meu peito,
Nasceram dentro de mim, estão assim bem
guardados,
não farei deles um papel, um bilhete a escribinhar,
o vento pode passar e leva-los para o mar...
não posso solta-los por um fio de linha, ela pode
arrebentar, e o meus segredos se queimam,
ante o meu despertar...
não posso deixar com o ancião, falta pouco e no topo
eu vou chegar, o velho já está quase morto e para
o novo vou levar...
No meu balanço, para cá e para lá, aos céus,
entregarei os meus apelos e os anjos, compreenderão
no meu olhar...
e os meus segredos, entre mim e eles, sempre haverão
de ficar...


Lívi@petitto