sábado, 5 de dezembro de 2009

O que não vale...


Vale a pena ser de novo, vale tudo,
até transtorno em busca de atenção...
a gente chora, perde o sono e na cama rola,
até lembrar da oração...
O socorro chega logo, e rápido se adormece,
deixando pra lá o monólogo...
E vamos em busca dos sonhos, na breve
viagem do sono, levando nas mãos a
passagem, por venturas que idealizamos...
Encontramos amigos e amores,
trevo da sorte, flores, sorrimos e até
choramos...
a gente acordar tranquilo, as vezes zonzo,
por aquele vôo dado, digerindo o mistério,
submissos e atordoados
mas, o que não vale, é acordar dos sonhos...

Livi@petitto