sexta-feira, 1 de janeiro de 2010

Janelas do futuro...

Que as janelas do passado
deixem o egoismo de lado,
ensejando emanações às janelas
do presente, para que sejam retirado,
os seus gradil
e as janelas do futuro, não sejam
apenas um dia 1º de abril...


Janelas...
Quanta beleza é possível de se ver,
uma janela assim surrada, quantas coisas
já guardadas, por trás dela, tem porquês...
Janelas retratantes do passado,
romantismo vivo de corações apaixonados,
onde o mundo era feliz sem saber...
Janelas, onde se resguardavam belas donzelas,
sempre havendo um seresteiro, que se
encantasse por elas...
ah, isto é coisa do passado, que jamais deixo
de lado, para não me arrefecer,
é patrimônio envelhecido, mesclado de sol dourado,
cuja a chuva fez respingos, tantas vezes na parede,
em nostálgicos perecer...
e eu fico aqui pra ver, que tudo isto ainda,
haverei de reviver, d'outras janelas,
sem gradil, a florescer...


Lívi@petitto