domingo, 29 de novembro de 2009

Travessia


Mares de ondas revoltas
me impedem de voltar,
amores lá no meu porto
aflitos, me inspiram a orar

As nuvens se escureceram
e o azul do céu, se perdeu
o vento, assoprando as ondas,
socorro, somente o de Deus...

Respingos das águas do mar,
sinto-os molhar o meu rosto,
envoltos às minhas lágrimas
d'um sabor e mesmo gosto...

E nestas horas tão intensas
percebo a noite chegar,
na calmaria, Deus é a presença,
ensaiando um sono, ao mar...

Vejo o sol que já desponta,
ouço a orquestra da alvorada,
a esperança suave, surgindo,
de breve paragem, abençoada...

Lívi@petitto


...................................................................................................