sábado, 21 de novembro de 2009

Penso...


Perguntaram-me se eu sabia, onde começava o vento
e na minha ignorância penso, que nesse esférico mundo,
de grandeza infinita, o vento nasce, no ponto de partida,
ao mesmo ponto de chegada, quando as pontas se atritam,
por influência ocasionada, gerando o fenômeno da ventosidade...
Assim somos nós, por sentimentos dado a ação inconstante,
produzindo abalo e desconforto, de mecanismo vago...

Lívi@petitto


...................................................................................................