segunda-feira, 7 de setembro de 2009

Não me leia...


Sou o tempo, nas inconstâncias,
não me leia, apenas me sinta...
hoje posso ser o sol que brilha,
amanhã apenas uma chuva fina...

Sou os momentos de correnteza das águas,
no meu percurso, como elas se agitam...
correm ligeiras, sofrem alguns desvios,
somente no leito, se tornam benditas..

Canto poesia, faço verso e prosa,
de mim eu falo, num instante vago,
nem todo o caso é de mim verdade,
a vida dita, o que nas letras narro...

Caminho e paro, penso e indago...
observo cada detalhe, a vida mostra,
a mala, sempre do meu lado, arquivos!
porque sim e não, gostar do que se gosta?

Sim, eu busco respostas, elas existem!
nos meus porquês, o desejo do saber,
por isto, na minha curiosidade, avalio,
o porque, dos por quês preciso compreender..

Não! não me leia nas minhas letras,
as vezes uma certeza, outra, um engano
eu tento, juro que tento, definir...
mas falho, nas incertezas e desenganos..

Lívi@petitto


...................................................................................................