quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Sim, eu sou!


Sou raíz de outros tempos e eras,
princípio vital, longíquo, ídos
alma sob efeitos de quimeras
resquícios do Divino, polídos

Fruto de viagem transcendente,
objeto do criador em reparação,
razão de trajetória contundente,
ainda omissa, para tal evolução...

Sou silêncio, vozes do infinito
sou um todo, as vezes nada,
grão de areia, no oceano bendito
metamorfose, transe da virada.

Sou farelo da folha seca pisada
migalha de luz, também escuridão
a calmaria de equilíbrio na jornada,
aventureira dos algozes, ilusão

Eu sou tudo isto e porque não
outrora origem nata, desconheço
dos inquietos vírus da tentação,
nas páginas já viradas, desse berço

Enfim, quem sou?
Sou um ser ainda incompleto,
Com defeitos e qualidades,
Procuro fazer o que acho certo
Erro, por não ser dona da verdade



Lívia Apetitto



...................................................................................................