sexta-feira, 7 de agosto de 2009

Contracenando com a gripe...



De repente, como um prato feito, me vejo,
embutida num tema, talvez sem noção,
mas um tanto quanto nocivo, estou eu, Livinha,
no grito, metida nessa confusão...
Um mero vírus? Sim,
que tornou hilário tudo isto e ainda, que o senso
efetivo não me seja nada plausível, tenho
que fazer humor e dizer que deu B.O...
Minha cama num piscar de olhos, virou um
palco e eu personagem do destino, sem tino,
sob comando de um foco..
Obra do Dr. Acaso ou talvez de algum Químico,
inovado, lançado agora no mercado, um agente
diferente, fabricante de brioches, chapado,
manipulador de vidas, no trato, como fantoches..
Busquei entre choros e risos compreender,
uma razão cabível, aceitando o inaceitável
dentro do meu ser... Era lição, só poderia
ser, olvidando sofrimento, amansando o
lamento e dentro de mim dizer: ah, eu"guento"!
E na humildade obrigatória dos feitos
fantasiosos e até um tanto quanto fantásticos,
subestimei. Fiz de todo o mal, um circo
onde de palhaça me fantasiei. Rir a vontade,
tornou-se uma ameaça, mas da graça, era
o tiro da desgraça, vez que dante ao riso,
um vulcão a siso, de dentro de mim, esculpia
lavas e somente dor, experimentava... Eis que
aí, surgia a manifestação da raiva, que de canina
então eu já chamava, a dita peçonhenta, me
forçando a ser para com ela, bizarra...
Hoje, 10 dias vivenciados nas variadas formas,
a que estive subjugada e confesso, que isto me
rendeu, uma Bilheteria danada...

Livinh@__



...................................................................................................