quinta-feira, 28 de maio de 2009

O Amor...


Que Bom se pudessemos retrata o amor como gostariamos
que fosse, na prioridade dos sentimentos... O amor,
sentimento esse que não se coloca em condições.
Sem a razão de ser do porque se ama.
Amar é amar, sem porquês na expressão mais sublime
de sentir o fraterno, o suave, o compreensivel.
Sentimento leve, que não sobrecarrega, que nos completa
ou que nos responde, sem que sejamos chamados ou
cobrados. É o que a nós eternece... que nos coloca ainda
que de longe, a observar e aplaudir... É o milhar em um,
estando em todos os lugares, sem hora marcada, multiplicado
na ação. Tudo é belo, tudo receptivo, compreensivo e aceito
na sua forma real. Defino-o exatamente como sendo o TODO
vivendo dentro do TUDO e todos os pejorativos contrário ao
belo, inexistem porque amor, é Perfeição...


Livinh@__